Aurora da Rua - Só mais um site Sites da ASA

Mais de 100 moradores de rua morreram nas ruas e marquises de São Paulo

moradores-de-rua2

Mais de 100 moradores de rua morreram nas ruas e marquises de São Paulo desde março deste ano, informou o Instituto Médico-Legal (IML). Uma das vítimas morreu na madrugada desta quarta-feira (15), na Avenida Cruzeiro do Sul, Zona Norte de São Paulo, informou o SPTV.

Março foi o mês com mais mortes de moradores de rua: 41. Em abril foram 27 e, em maio, 20. Entre os dias 1º e 15 de junho, foram 25 óbitos, totalizando 113 vítimas.

Desde a semana passada, seis pessoas em situação de rua foram encontradas mortas na capital. De acordo com o IML, todas elas tinham doenças. Problemas respiratórios, como a pneumonia, pioram com as baixas temperaturas, mas o frio não foi a causa dos óbitos.

“Os corpos aqui necropsiados apresentavam sinais e sintomas compatíveis com doenças prévias, doenças que pessoas apresentavam no transcorrer de suas vidas que eram patologias graves, patologias cardíacas, patologias hepáticas e patologias renais também”, disse Nelson Bruni, diretor do IML de São Paulo. “Mas nada ligado ao caso de uma hipotermia e pessoas que teriam morrido por causa do frio. Isso não.”

Segundo o Padre Júlio Lancelotti, o essencial não é o laudo do IML informando se as mortes são por hipotermia, mas sim a falta de proteção e a exposição ao frio que podem causar essas mortes.

O homem que morreu nesta madrugada sofreu um infarto. Na terça-feira (14), a causa da morte do homem no Bom Retiro foi pneumonia. No dia 10 de junho foram três mortes: uma no Mandaqui, por ataque cardíaco; uma no Belenzinho, por pneumonia; e uma na Barra Funda, por pancreatite.

A suspeita de que o frio tenha causado as mortes recentes levou o Ministério Público (MP) a abrir um inquérito para investigar as políticas públicas da Prefeitura de São Paulo em relação aos serviços prestados à população de rua. De acordo com o último censo da Prefeitura, São Paulo tem 15.900 pessoas em situação de rua.

Questionada, a Prefeitura não confirma as mortes pelo frio, e diz que tem 79 locais na cidade que recebem moradores de rua. A Prefeitura ainda disse que iniciou a Operação Baixas Temperaturas no dia 16 de maio, que intensifica o trabalho de abordagem quando a temperatura chega a 13ºC ou menos. Em média, são encaminhados para locais protegidos 11 mil pessoas por dia.

Fonte:http://g1.globo.com/